Escolha uma Página

R$24,90

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Apenas clientes logados que compraram este produto podem deixar uma avaliação.

Brit-Milá, Barba, Peót e Tatuagem

Brit-Milá

O brit-milá é algo grandioso – foram firmados sobre ele 13 pactos – ele sobrepõe, inclusive, as rígidas Leis de Shabat, pois como a Torá instrui, apesar de ser proibido fazer uma ferida no Shabat, ainda assim se realiza o brit-milá, inclusive quando ele coincide com o Shabat (Nota: Somente quando se faz no oitavo dia e o filho nasceu de forma natural o brit sobrepõem o Shabat, confira mais detalhes sobre o tema no tópico ‘Perguntas e Respostas’).

Apesar de toda a grandeza de Moshé, ele foi cobrado por ter demorado (mesmo que por pouco tempo) a realização do brit-milá de seu filho.

Mesmo com todas as mitsvót que o Patriarca Avraham realizou, ele não foi considerado completo até a realização do brit-milá.

Se não fosse pelo brit-milá, D’us não haveria criado o Mundo. (Mishná, Nedarim 31b)

Os Sábios perguntam (Alshich): Se o brit-milá é tão importante, por que não consta nos dez mandamentos? E respondem: Pois já está incluído no que a Torá escreve antes, como introdução aos dez Mandamentos: “Se escutarem a Minha Voz e cuidarem de Meu pacto” (Midrash Tanchuma); pois o brit-milá é o carimbo através do qual a pessoa demonstra que é fiel e serve o Criador, portanto, é propício que esse tema seja um conceito-prévio aos Mandamentos, como uma condição. Pois primeiro é necessário ter a pré-disposição de servi-Lo para que possa receber os Seus Preceitos.

Contudo, aquele que através de suas ações demonstrou o contrário, isto é, que não deseja conectar-se com Hashem, o prepúcio se encontra em sua essência e não se enquadra no pacto fixado pelo Patriarca Avraham. Assim, a ação física de ter realizado o brit-milá já não combina com ela, seria como um carimbo de casher em uma comida tarêf (que não é casher), por isso, aquele que não cuida de seu pacto, a pesar de receber méritos por ter realizado o brit-milá em seu corpo, ele já não tem a força de salvá-lo das duras sentenças no Mundo Espiritual, como será explicado mais adiante no tópico‘Temas Sobre Brit-Milá.

 

Definição

Brit-Milá, literalmente: O pacto do corte (ou o pacto de extrair).

O Preceito do brit-milá consiste em cortar e extrair toda a pele do prepúcio que cobre a glande e expor a glande de forma íntegra. A parte externa do prepúcio é chamada de ‘milá’ e a parte interna do prepúcio que, quando neném, se encontra grudada à glande, é chamada de ‘periá’. Para que o brit-milá seja válido tanto a milá como a periá devem ser cortadas (confira no tópico sobre o processo do brit-milá). Assim está escrito no Talmud (Shabat 137b) e no Shulchan Aruch: Aquele que corta a milá e não a periá, é considerado como se não houvesse feito o brit-milá.

 

Fonte na Torá Sobre o Brit-Milá

Está escrito na Torá (Bershit 17,12):

“Com oito dias vocês circuncisarão todo homem (nascido) entre vocês em todas as gerações (....)”
[Confira também Bereshit, capítulo 17 do versículo 9 ao 14 que trata do tema do brit-milá].

Também no Livro de Vaikrá (12,3) está escrito: “No oitavo dia circuncisarás a carne do prepúcio.”

 

Perguntas e Respostas Sobre o Brit-Milá

Se o filho nasce na terça-feira, em que dia se realiza o brit-milá?

R: Na terça-feira da semana seguinte, pois o brit-milá é realizado no oitavo dia a partir do nascimento – contando o próprio dia do nascimento. Portanto, se ele nasceu na terça-feira, o primeiro dia é a própria terça, assim, a quarta-feira é o segundo dia, a quinta é o terceiro, a sexta é o quarto, o Shabat é o quinto, domingo é o sexto, segunda o sétimo e a terça-feira é o oitavo dia. (Confira ilustração)

Porém, se quando o filho nasceu já era de noite, então é considerado que nasceu na quarta- feira, pois o dia (de acordo com a Torá) inicia aoanoitecer, assim, o brit somente poderá ser realizado na quarta-feira seguinte (e não na terça).

Nota: Confira em seguida como conduzir-se quando o filho nasce entre a shkiá (pôr do sol) e a tsêt há’kochavim (saída das estrelas), período o qual é considerado dúvida se, todavia, faz parte do dia anterior ou se já iniciou o dia posterior.

Uma pessoa que por engano fez o brit-milá no sétimo dia a partir do nascimento de seu filho (ao invés de fazer no oitavo, como a Torá ordena) ou fez o brit de noite (ao invés de fazer de dia como a Torá ordena) o que deve fazer?

R: Em ambos os casos se deve extrair (através de um moêl) uma gota de sangue do local do brit, porém, sem recitar a brachá.

Nota: O brit-milá deve ser realizado somente no oitavo dia (e não antes) e deve ser realizado somente de dia e não de noite, como consta na Torá: Vaikrá (12,3): “No oitavo dia circuncisarás a carne do prepúcio.” Caso o brit-milá não foi realizado no oitavo dia, deve realiza-lo assim que possível.

O marido foi com a sua esposa para o hospital na terça-feira de tarde. Quando o filho nasceu o pai olhou para o relógio e viu que ele nasceu bein há’shmashót, isto é, entre a shekiá (pôr do sol) e o nêts há’chamá (saída das estrelas), quando ele deve realizar o brit-milá?

R: Uma vez que o período entre a shekiá e o nêts há’chamá é um período de dúvida (se já iniciou um novo dia ou não), se faz o brit-milá somente na quarta-feira da semana seguinte. Pois, caso fizer o brit na terça-feira, pode ser que, todavia, é o sétimo dia a partir do nascimento do neném e não o oitavo.

Este texto é reprodução de parte do conteúdo do e-book Brit-Milá, Barba, Peót e Tatuagem.

A reprodução desse conteúdo é proibida sem a autorização do autor.

Para continuar lendo, baixe o e-book clicando no botão abaixo.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Apenas clientes logados que compraram este produto podem deixar uma avaliação.